Centro Cultural Raiano faz 25 anos ao serviço das artes e cultura

Idanha-a-Nova

 

Centro Cultural Raiano faz 25 anos ao serviço das artes e cultura

O Centro Cultural Raiano (CCR), em Idanha-a-Nova, assinalou na quarta-feira, 2 de fevereiro o seu 25º aniversário.

Com um programa online e presencial, as comemorações vão acontecer ao longo de um ano. O arranque das celebrações teve como momento alto os concertos das Adufeiras de Idanha-a-Nova e da Orquestra Sem Fronteiras, que aliaram tradição e juventude e encheram o auditório do CCR.

As comemorações dos 25 anos do Centro Cultural Raiano vão decorrer durante um ano. É o último Castelo que construímos em Idanha-a-Nova, agora sem ameias, para nos aproximar da cultura, dos povos raianos de Portugal e de Espanha, sempre com o forte envolvimento dos Idanhenses”, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova.

Armindo Jacinto realçou que o CCR “tem sabido inovar e é hoje um exemplo maior da forma como Idanha investe na cultura como estratégia de desenvolvimento sustentado, que cria riqueza e emprego”.

Concerto de Aniversário

 

O CCR é uma obra do conceituado arquiteto Luís Marçal Grilo, que passados 25 anos desde a sua construção continua a marcar a paisagem de Idanha-a-Nova, pelo arrojo do seu design e da sua ambição, como grande polo cultural de Idanha, da região, do país e do mundo.

O equipamento cultural nasceu da visão estratégica do então Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Joaquim Morão, e foi inaugurado em 2 de fevereiro de 1997, pelo Presidente da República, Jorge Sampaio, que nos deixou o ano passado.

As comemorações dos 25 anos do CCR contaram com a presença da Diretora Regional de Cultura do Centro, Suzana Menezes. “O Centro Cultural Raiano é uma das mais emblemáticas instituições culturais da região Centro, que congrega em si de forma particularmente inteligente um conjunto muito diverso de valências culturais no âmbito da preservação do nosso património cultural, mas também no domínio das artes performativas, contribuindo ao longo dos anos para o reconhecimento e a valorização de centenas de criadores e agentes culturais do nosso território”, afirmou Suzana Menezes.

A Diretora Regional salientou que o CCR é “uma instituição de referência, não apenas pela sua qualidade arquitetónica, técnica e tecnológica, como sobretudo pela qualidade programática, sempre diversa, interdisciplinar e inovadora, fruto de um investimento contínuo do Município de Idanha-a-Nova”.

Uma das novidades de 2022 é a adesão do CCR à Rede de Teatros e Cineteatros Portugueses, já formalizada. Esta rede tem como objetivo promover a coesão territorial no acesso à cultura e às artes em Portugal. Em termos estratégicos, a participação na rede vem proporcionar maior proximidade e articulação entre o Estado central e as autarquias locais e as entidades independentes.

Além de ser uma estrutura chave para a estratégia de Idanha-a-Nova como Cidade Criativa da UNESCO na área da Música, o Centro Cultural Raiano acolhe também a sede do Geopark Naturtejo, Geoparque Mundial da UNESCO.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Destaques, Idanha-a-Nova com as tags , , , . ligação permanente.