PAN não esqueceu Oleiros

Campanha do PAN em Proença-a-Nova e Oleiros

” O dia da Amália Cardoso cabeça de lista do PAN contado pela própria”

Hoje foi o dia das meninas, a cabeça de lista, Amália Cardoso junta com duas elementos da lista eleitoral do PAN, foram cedo para a Proença-a-Nova.

Pararam num supermercado pôr gasolina e beber café. A entrada havia uma gatinha preta que segundo testemunhas, “andava por aí há algum tempo à procura de comida”. Depois de lhe dar duas latinhas de paté, a delegação não conseguiu deixar a gatinha e levou-a para o veterinário. Como não tinha chip, ficou com ela.

Os elementos do PAN seguiram para o centro de Proença para distribuir flyers. Depois do almoço, deslocaram-se para Oleiros. Quem não é da zona, depara-se com uma serra devastada pelos incêndios de 2020. Terra queimada a perca de vista, porem alguns aproveitaram-se da desgraça e já se encontra lá uma cultura intensiva de Eucaliptos…

Em Oleiros, passaram pela escola, os bombeiros e chegaram ao centro. Em redor da praça e do jardim estão pequenos comércios.

Num café o proprietário contou que é cada vez mais difícil de ter um comercio na vila sobre tudo depois da chegada do minimercado Continente. “Já não sabemos se pudemos propor salgadinhos ou doces porque eles têm de tudo, não podemos competir”.

A seguir, a delegação andou pelo centro da vila a distribuir panfletos. Os habitantes estavam admirados de ver um partido a fazer campanha ali. Puderam também descobrir obras do projeto “Arte à Porta”, portas pintadas com temas e frases inspiradoras. Uma ideia original que dá vida as ruas de Oleiros e dão a conhecer as tradições e os artistas da zona. Uma prova que a cultura não precisa de grandes centros para sobreviver, a cultura está em todo o lado.

De regresso a Castelo Branco, a delegação ainda resgatou uma cadelinha de rua que ficou em FAT (família de acolhimento).

Um dia em cheio, além de falar com a população, os candidatos do PAN puderam deparar-se com cenários essenciais para o partido como a desertificação, o bem-estar animal, a invasão dos eucaliptos e a promoção da cultura “.

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Oleiros com as tags , , . ligação permanente.

2 Responses to PAN não esqueceu Oleiros

  1. Fernanda Ramos diz:

    Que pena o Pan não ter ido ao encontro de pessoas com casas frias porque o rendimento é à conta para a farmácia!…Por favor sejam mais rigorosos na designação de “ famílias de acolhimento “. Há muitas crianças em sofrimento que as não encontram.
    Apenas uma breve nota exemplificativa de outras que se poderiam mencionar. Sem preconceitos.

Os comentários estão fechados.