Idanha-a-Nova: Seminário debate construção da política alimentar da Bio-Região de Idanha-a-Nova

Seminário debate construção da política alimentar da Bio-Região de Idanha-a-Nova

A construção de uma política alimentar para o concelho de Idanha-a-Nova, que integra a Rede Internacional de Bio-Regiões, esteve em discussão num seminário que decorreu no Dia da Alimentação, 16 de outubro.

O Seminário “Política Alimentar da Bio-Região de Idanha-a-Nova” realizou-se na Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova (ESGIN) e reuniu especialistas e atores da comunidade idanhense, tais como agricultores e outros produtores de alimentos, empresas agrícolas, de processamento e distribuição alimentar, organizações de consumidores, associações culturais, instituições particulares de solidariedade social, técnicos da autarquia e de organismos públicos descentralizados.

As políticas alimentares que estamos a desenvolver em Idanha visam envolver toda a comunidade, incluindo a educativa, no sentido de implementar políticas mais sustentáveis, mais amigas do ambiente e mais saudáveis para vivermos neste concelho uma vida longa e com qualidade”, afirmou no seminário o presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Armindo Jacinto.

O autarca acrescentou que “enquanto Bio-Região, Idanha tem o desafio de promover uma estratégia integrada de desenvolvimento do território que sensibilize para os modos de produção sustentáveis, para o consumo de produtos locais, para os circuitos curtos de comercialização, para a economia circular e para o combate às alterações climáticas”.

O trabalho tem sido desenvolvido com parceiros locais, regionais e nacionais e tem dado resultados muito concretos. Um exemplo indicado neste seminário é a introdução de refeições biológicas em cantinas do concelho. O projeto tenderá a ser alargado a mais escolas, criando consumidores mais conscientes, mas também a lares e centros de dia.

O Centro Municipal de Cultura e Desenvolvimento de Idanha-a-Nova é uma das entidades envolvidas neste trabalho conjunto.

A presidente da instituição, Catarina Pereira, considera que o seminário veio reforçar “a criação de uma estratégia de âmbito nacional para a promoção do desenvolvimento integrado e sustentável dos territórios rurais”. Será determinante para a constituição de “um pacto territorial multiatores, para a promoção de um sistema alimentar sustentável e de uma política alimentar territorial”.

Na qualidade de anfitriã do evento, Sara Brito Filipe, diretora da ESGIN, afirmou que foi “mais uma iniciativa que coloca o concelho de Idanha-a-Nova e esta Bio-Região na senda dos territórios inovadores e atentos às oportunidades do mercado”.

A ESGIN, ao formar jovens nas áreas da gestão, do direito e do turismo, assume “o compromisso de sensibilizar os estudantes para as questões da sustentabilidade e da economia circular, mas também para as potencialidades da gastronomia e do turismo no desenvolvimento sustentável dos territórios”, salientou a diretora.

Entre os parceiros que marcaram presença neste seminário constam ainda a Actuar, a Agrobio, a Escola Superior Agrária de Viseu, a Direção-Geral de Agricultura e Desenvolvimento Rural, a Amuse Bouche, a Food4Sustainability e Francisco Sarmento, especialista em sistemas alimentares.

O Seminário “Política Alimentar da Bio-Região de Idanha-a-Nova” fez parte do projeto “Bio-regiões: uma estratégia integrada de desenvolvimento dos territórios rurais”, cofinanciado pelo Programa de Desenvolvimento Rural – PDR 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEADER.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Idanha-a-Nova com as tags , . ligação permanente.