Proença-a-Nova: Gestão de biorresíduos com estratégia para os próximos 10 anos

Gestão de biorresíduos com estratégia para os próximos 10 anos

O Município de Proença-a-Nova já tem uma estratégia definida para a gestão de biorresíduos, apresentada a 14 de julho numa sessão online, e que será implementada no concelho ao longo dos próximos dez anos.

No âmbito de uma candidatura ao Fundo Ambiental, foi elaborado o “Estudo Municipal para o Desenvolvimento de um Sistema de Recolha de Biorresíduos” que permitiu identificar as melhores soluções a implementar no concelho, com vista a assegurar que os biorresíduos são separados e reciclados na origem ou recolhidos seletivamente com a máxima eficiência pelo sistema “em baixa” e devidamente encaminhados para tratamento nas infraestruturas do sistema “em alta”.

Depois da caracterização geográfica e sociodemográfica do Município, da tipologia dos resíduos a gerir e da tipologia do produtor a servir, as soluções propostas foram a compostagem doméstica, a compostagem comunitária, a recolha seletiva de proximidade e a recolha seletiva porta a porta. Para o setor doméstico, pretende-se a recolha de proximidade nas sedes das Uniões de Freguesia de Proença-a-Nova e Peral e de Sobreira Formosa e Alvito da Beira e compostagem doméstica/comunitária em alojamentos localizados em locais estratégicos.

No setor não doméstico a solução contempla a recolha porta-a-porta no caso de cafés, restaurantes, hotéis e outros produtores como IPSS, mercado, escolas, bombeiros, entre outros.

No entanto, para que a estratégia apresentada funcione “é preciso envolver o conjunto das partes interessadas como as juntas de freguesia e outros serviços públicos, bem como os agentes económicos e a população em geral para a prática da compostagem”, reforça a empresa promotora deste estudo.

Neste sentido, com um território com mais de 80% ocupado por floresta, o Município tem sempre presente a prioridade da proteção ambiental e tem feito ações junto da população ao longo dos últimos anos. Um desses exemplos foram as iniciativas de sensibilização ambiental sobre compostagem doméstica, que decorreram entre 7 de maio e 18 de junho, com 89 munícipes a aderir a esta prática de valorização de resíduos, contribuindo para a redução da contaminação dos solos, da água e do ar.

Além dos vários ecopontos distribuídos por diferentes localidades do concelho, os serviços municipais, de acordo com uma calendarização específica, efetuam a Recolha de Monos Domésticos (objetos provenientes das habitações que, pelo seu volume, forma ou dimensões, não possam ser recolhidos pelos meios normais de remoção), evitando que os resíduos volumosos se acumulem em locais inadequados como a floresta ou a via pública. Também os Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) tais como máquinas de lavar, frigoríficos, aparelhos de ar condicionado, televisores, monitores, computadores, telemóveis, pequenos eletrodomésticos e brinquedos, entre outros, deverão ser entregues no Ecocentro junto à Zona Industrial de Proença-a-Nova.

Há nove anos que o Município promove a campanha Troque Resíduos por Plantas, cujo objetivo é, simultaneamente, alertar para a necessidade de reciclar objetos compostos por metais pesados (como é o caso das pilhas e das baterias) e promover a entrega destes produtos recebendo em troca árvores e arbustos.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Proença-a-Nova com as tags , . ligação permanente.