III Edição do BiodivSummit em Proença-a-Nova

Tecnologia, ciência e inovação fundamentais para um futuro mais verde

O respeito pelos ecossistemas, a necessidade de preservarmos os territórios e os seus recursos para as gerações futuras e a construção de soluções cada vez mais modernas e verdes têm de ser valores que acompanham todo o nosso trabalho e acompanham o trabalho de todos”: foi desta forma que a Ministra da Coesão Territorial iniciou a III Edição do BiodivSummit, evento que decorreu online, com transmissão em direto a partir do Centro Ciência Viva da Floresta, em Proença-a-Nova, a 22 de maio, Dia Internacional da Biodiversidade.

Para Ana Abrunhosa, os próximos fundos europeus que vão chegar a Portugal, no âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência e do Portugal 2030, reforçam os valores assentes na “criação de dinâmicas sustentáveis de crescimento, de valorização do território, de desenvolvimento económico e social e de inclusão social”.

Também o Pacto Ecológico Europeu tem um plano de ação com vista a atingir neutralidade carbónica até 2050, indicando medidas a tomar em vários sectores, que passam por investir em tecnologias não prejudiciais para o meio ambiente ou apoiar a inovação industrial, entre outras. “São passos fundamentais para a nossa economia cada vez mais servir as pessoas e servir a natureza e proteger a natureza: não pode ser de outra maneira”, reforçou a Ministra.

João Paulo Catarino, Secretário de Estado Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, durante o encerramento da sessão, alertou para a redução substancial da biodiversidade que temos no contexto mundial e nacional e as implicações graves na nossa saúde ambiental. “Esta pandemia veio-nos mostrar como a saúde ambiental está intimamente relacionada com a saúde animal e, por consequência, com a saúde humana”. Nesse sentido, o Governo tem em curso programas para restauro de ecossistemas que perderam a diversidade biológica. “É tão importante festejarmos este dia internacional da biodiversidade e que este dia seja lembrado todos os dias”, referiu.

João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, destacou o equipamento onde se realiza o BiodivSummit: o Centro Ciência Viva da Floresta – o único dentro da rede de Ciências Viva que está relacionado com a biodiversidade. “Nesta economia viva que queremos para territórios de baixa densidade, que denominamos de interior, traduzimos também o que está alinhado no próximo Quadro Comunitário de Apoio e com o acordo verde que foi definido pela União Europeia. Proença-a-Nova está também alinhada com estes objetivos e a realização deste evento é um contributo que damos para a sensibilização e transmissão de conhecimento para a nossa sociedade”, referiu nas boas vindas, onde agradeceu a presença de todos os palestrantes e moderadores. A introdução ficou a cargo de Fausto Freire, coordenador do Centro de Ecologia Industrial da Universidade de Coimbra, que abordou o tema do evento a partir da “economia circular e ecologia industrial”.

No primeiro painel, dedicado à proteção e valorização do território, participaram Adriano Fidalgo, administrador executivo da Astrolábio e moderador, Fernanda do Carmo, diretora-geral do Território, Nuno Lacasta, presidente do Conselho Diretivo da Agência Portuguesa do Ambiente, e André Dias, investigador no SERQ. O segundo painel, dedicado à temática da produção biológica, contou com as intervenções de Augusto Nogueira, Coordenador da Pinhal Maior, António Moitinho Rodrigues, professor coordenador da Escola Superior Agrária do Instituto Politécnico de Castelo Branco, e Pedro Morais, da Associação Portuguesa de Ecoturismo, tendo a moderação de Duarte Magalhães, gestor e professor universitário.

A finalizar, no painel sobre reengenharia de processos, intervieram António Tadeu, presidente da direção do Instituto de Investigação e Desenvolvimento Tecnológico para a Construção, Energia, Ambiente e Sustentabilidade, António Taveira Gomes, presidente do Conselho de Administração da Unidade de Saúde Local de Matosinhos, e Nelson Ferreira Pires, CEO da Jaba Recordati, num debate moderado por Carlos Coelho, diretor executivo de Novos Projetos de Energia do Grupo Altri.

Este evento contou ainda com a participação especial do projeto Eco-Escolas do Agrupamento de Escolas de Proença-a-Nova: os principais momentos do dia 20 de maio foram recordados durante a emissão que pode ser revista a qualquer momento em www.biodivsummit.pt.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Ciência e Tecnologia, Destaques, Proença-a-Nova com as tags , . ligação permanente.