Movimento a favor da ESGIN alcança vitória na Assembleia da República

Petição do Movimento a favor da ESGIN aprovada por maioria na Assembleia da República

A petição nº 40/14 da iniciativa do Movimento pela autonomia e sede da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova (ESGIN) mereceu ser agendada para o dia 11 de Março do corrente ano.

Devido ao surto da malfadada COVID 19, foi apenas permitido que assistissem ao debate e votação, na galeria do Parlamento, para além do Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova, Engº Armindo Jacinto, uma representação de quatro jovens elementos do Movimento apartidário pela autonomia e sede da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova (ESGIN).

Na sessão iniciada, pelas 15H00, usaram da palavra, os deputados representantes dos Grupos parlamentares que apresentaram projectos de resolução: BE, PCP, CDS-PP, PSD, PEV, PS e, por fim o PAN.

No momento oportuno da votação, a proposta pela sede e autonomia da ESGIN foi aprovada por maioria com os votos a favor dos partidos: BE, PCP, CDS-PP, PSD, PEV, PAN, IL e Chega. Votou apenas contra o PS, Partido Socialista.

Para nossa surpresa e pasmo, apresentaram declaração de voto a favor da proposta votada por maioria, o Sr. e as Sras Deputadas do Partido Socialista, representantes do Distrito de Castelo Branco: Nuno Fazenda, Hortense Martins e Joana Bento, bem como ainda a Sra Deputada Alexandra Tavares de Moura.

Após a votação, as propostas baixam à 8ª. Comissão Parlamentar da Educação, Ciência, Juventude e Desporto. Dado o consenso alargado, vai ser elaborada, em reunião conjunta, uma recomendação com texto único que será enviada ao Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

É do conhecimento público que no passado dia 10 de Fevereiro o Conselho Geral do IPCB aprovou os seus novos estatutos, concretizando-se desta forma a reestruturação do IPCB, passando a ser criados 9 departamentos transversais e 4 novas Unidades Orgânicas (escolas), ou seja, esta reestruturação implica uma redução do número de escolas, das 6 existentes passam a 4 novas escolas. Entre outras alterações, a ESGIN extingue-se e surge a Escola Superior de Informática e Gestão (ESIG).

Acontece que a ESGIN resultou claramente da visão e da vontade política que defendeu o desenvolvimento harmónico e sustentável do interior e a descentralização do ensino superior, motivos pelos quais foi criada através de Decreto-Lei nº 153/97, de 20 de Junho, com sede em Idanha-a-Nova e dotada de autonomia administrativa, pedagógica e científica.

Será que a ESGIN pode ser extinta por uma decisão tomada em Conselho Geral do IPCB ao aprovar uns Estatutos que não contemplam a sede da nova Escola Superior de Informática e Gestão? Nos termos do n.º 2 do artigo 59.º do Regime Jurídico das Instituições do Ensino Superior, a extinção de escolas de instituições de ensino superior públicas, como é o caso da ESGIN, carece de autorização prévia do ministro da tutela.

Temos esperança que o Sr. Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Prof. Doutor Manuel Heitor, não aprovará os enviesados novos Estatutos do IPCB, porque vai ter em conta a votação inequívoca e maioritária em defesa da sede e autonomia da ESGIN de todos os Grupos Parlamentares, excepto a do Partido Socialista, tomará em conta o Decº Lei que criou a ESGIN com autonomia e sede em Idanha-a-Nova, que o nosso Concelho possui uma base rural, e na sequência da deliberação n.º 55/2015, de 1 de julho, da Comissão Interministerial de Coordenação Portugal 2020, foi classificado como território de baixa densidade, para aplicação de medidas de discriminação positiva e que as políticas apresentadas pelo Governo a bem do interior também impediriam que a nova Escola Superior de Informática e Gestão, perca a sua sede e respectiva autonomia em Idanha-a-Nova.

O Movimento pela Autonomia da ESGIN

António Catana

António Fonseca

Carla Santos

João Couchinho

Joaquim Martins

Paulo Martins

Rita Abrantes

Teresa Caria

Vitor Mascarenhas

 

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Idanha-a-Nova com as tags , . ligação permanente.