Conselho Coordenador dos Institutos Superiores a propósito da ESGIN

Publicamos na íntegra a Carta que nos foi enviada pelo Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos

Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Idanha-a-Nova,
Exmo. Senhor Presidente da Assembleia Municipal de Idanha-a-Nova,
Exmo. Senhor Presidente do Instituto Superior Politécnico de Castelo Branco,
Em virtude das declarações publicadas na comunicação social e redes sociais, no decorrer
da última semana, que dão a entender que o Conselho Coordenador dos Institutos
Superiores Politécnicos assume uma posição favorável relativamente à iniciativa
Movimento pela Autonomia da Escola Superior de Gestão de Idanha-a-Nova, vimos por este meio esclarecer:
• O Conselho Coordenador dos Institutos Superiores Politécnicos é o órgão de
representação conjunta dos estabelecimentos públicos de ensino superior politécnico.
Atualmente, integram o CCISP todos os institutos superiores politécnicos públicos, bem
como, as escolas superiores não integradas e as universidades dos Açores, Algarve,
Aveiro e Madeira.

Além da co-representação dos seus membros, a principal competência do CCISP
é a emissão de pareceres e posições sobre assuntos que digam respeito a matérias
relacionadas com o ensino superior. É, também, um elo de ligação entre as várias
instituições, contribuindo para fixar linhas de ação tendo em vista a melhoria do
ensino superior, a harmonização de processos entre as várias instituições e
o incremento da cooperação entre as mesmas, quer através de projetos comuns, como
da disseminação de informação relevante para os membros.
• O Senhor Presidente do Instituto Superior Politécnico de Castelo Branco (IPCB),
Professor Doutor António Fernandes, Conselheiro do CCISP, já havia, em sede da
reunião deste órgão, apresentado a proposta que se propunha a preconizar para a
reestruturação organizacional do IPCB, a qual constituiu uma orientação estratégica do
seu manifesto eleitoral, aquando da submissão da sua candidatura à Presidência do
IPCB. Uma vez eleito, este plano estratégico foi levado à apreciação do Conselho Geral
do IPCB tendo sido aprovado para a vigência do mandato compreendido no quadriénio
2019/2022. Assim, foi mandatado o Senhor Presidente do Instituto para proceder à
respetiva reestruturação organizacional.
• As áreas de formação que atualmente são ministradas em Idanha-a-Nova constituirão
um dos nove Departamentos que abarcará as áreas das ciências empresariais e jurídicas.
A associação deste novo departamento com o novo departamento de informática,
constituirá uma nova Escola do IPCB: a Escola de Informática e Gestão.

Em resultado do debate no CCISP, acredita-se que a associação reforçará e valorizará a
concepção e o desenvolvimento de novas ofertas formativas, alinhadas com a nova Escola.
É expectável que novas formações, relacionadas com temas emergentes da gestão e das
tecnologias da informação, possam surgir, reforçando o impacto do IPCB, e
particularmente desta sua Escola, no território.
• O CCISP entende que o processo de reestruturação organizacional, em curso no IPCB,
tem sido desenvolvido dentro do zeloso cumprimento dos seus estatutos. Sublinha-se
que, com este plano estratégico e compreendendo a importância que todas as Unidades
Orgânicas representam no seio do IPCB, a oferta formativa persistirá a sua ministração
em Idanha-a-Nova.
• O CCISP é um acérrimo defensor da superior autonomia das instituições de Ensino
Superior, enquanto seu princípio basilar, bem como do funcionamento estatutário dos
seus respetivos órgãos eleitos democraticamente.
Aproveitamos para enfatizar que o Ensino Superior Politécnico, em Portugal, contribuiu
significativamente para o desenvolvimento da sociedade nos últimos 40 anos dotando, de
uma forma relevante, o número de cidadãos com formação superior. Não só, com o
alargamento da base social de recrutamento, como ao nível dos cursos conferentes de
grau, e ao nível das ofertas de ensino superior de curta duração, designadamente, através dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais.

É, ainda, de realçar o alargamento do âmbito de atuação das Instituições de Ensino
Superior Politécnico, assumindo uma centralidade cada vez maior nos ecossistemas
regionais de inovação, com impactos importantes na competitividade e coesão regionais.
Como exemplos desta interligação, constatam-se os vários projetos em parceria no âmbito do Portugal 2020, os projectos em parceria com diferentes entidades públicas, as
incubadoras existentes ou geridas pelos Membros do CCISP na prestação de serviços à
comunidade ou, ainda, os projetos de responsabilidade social existentes em todas as
Instituições de Ensino Superior (IES).
Também o reforço do processo de Internacionalização das IES, quer no que concerne à
ciência e investigação, quer no respeitante à capacidade de atração de estudantes
estrangeiros, sem dúvida, permitiu almejar um sucesso incomensurável na captação de estudantes, com maior expressão percentual nas regiões do interior, o que muito
contribuiu para a regeneração destes territórios.

É ainda de sublinhar o impacto económico que os Membros do CCISP preconizam nas
regiões do interior, em particular o IPCB, conforme demonstram estudos promovidos pelo CCISP.
Destacamos, também, o contributo que todas as unidades orgânicas do IPCB têm
assumido para o reforço do número dos estudantes inscritos no instituto, bem como, para
os indicadores financeiros que se têm verificado nos últimos anos.
Assim, este Conselho Coordenador crê que a decisão que vier a ser tomada será no melhor
interesse da Região, de todas as Comunidades e do IPCB.
Solicitamos que, de futuro, a posição do CCISP seja devidamente veiculada.

Sobre Jornal de Oleiros

Nascemos em 25 de Setembro de 2009. Lutamos arduamente pela defesa do interior, o apoio às famílias e a inclusão social. Batemo-nos pela liberdade e independência face a qualquer poder. Somos senhores da nossa opinião.
Esta entrada foi publicada em Castelo Branco com as tags , . ligação permanente.